A profundidade das coisas

00:58


03bdf8804dcb1a7c893cfe9282124912-d4asx2p_large


Lagartas mudam, viram borboletas. Aranhas tecem suas teias, com determinação e beleza. Formigas mostram que sozinho você não chega a lugar nenhum. Abelhas parecem amargas e petulantes pelo seu ferrão, mas produzem o doce mel. A filosofia das coisas está mais do que a visão superficial que a gente tem do mundo. Tudo tem um significado compatível com a nossa existência. Tudo é metáfora. E por causa da nossa superficialidade e equívocos , às vezes amargamente , matamos todos os detalhes mínimos dessa vida. 

O ninho dos pássaros, o nado da família de patos no lago. A fidelidade de um cão. Coisas que a vida e a natureza divina e cósmica simplesmente mandam de presente pra gente sem cobrar nada em troca. Por mais que pensemos que as coisas não tem sentido, ou que estamos sozinhos, ao menos podemos ter uma única certeza: sabemos que o sol vai estar lá, todos os dias, nascendo novamente e nos trazendo a esperança de dias melhores, e estamos com ele, pois precisamos dele para viver bem, e ter a magnitude do dia. 

Tudo parece ser um mistério indecifrável, uma incógnita talvez. Viva sem os porquês e apenas sinta a brisa leve no seu rosto. Sinta, apenas sinta. Principalmente nas horas de tristeza, lágrimas e queda. A brisa é o carinho mais leve e sublime que a natureza te dá, que corre pelos poros do seu rosto transfigurando a maior caridade de todas. 

As coisas estão em ciclo. Os mundos se encontram, se assemelham e se encaixam. Tudo que ganhamos, damos. Tudo que damos, recebemos. A vida é uma dádiva única, por isso, se assemelha com tudo que é vivo. Por que viver faz parte da vida. E ser vivo e viver pela vida, para vida. Ser vivo é senti-la e entende-la questionando-a em silêncio nas suas mil faces e nas minorias valiosas do cotidiano. Ser vivo é – sobretudo - estar em sintonia com as coisas. Por que tudo é muito mais profundo do que parece.

You Might Also Like

4 Comente!

  1. Nossa que texto profundo. São tantos detalhes, cores e coisas que, as vezes, deixamos passar. Texto perfeito e eu até salvei em meus arquivos do notebook com o seu link.

    http://witblogpessoal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Os acontecimentos não podem parar, se não o mundo continua e a nossa vida pára de evoluir... e como sua bela conclusão fala: "ser vivo, é sobretudo, estar em sintonia com as coisas." beijos e tudo de bom, Sa.

    ResponderExcluir
  3. Nossa muito bonito este texto. Amei esta metáfora as borboletas.
    Amei: Viva sem os porquês e apenas sinta a brisa leve no seu rosto.
    <3
    Beijos da Dani,
    http://www.avidaemletras.com/

    ResponderExcluir
  4. Uma pessoa questionadora como eu abandonar os porquês é um pouco difícil, contanto, concordo que deixamos passar batido muitas coisas com as quais nos deparamos todos os dias. E não, não é poético, é questão de sobrevivência.
    Acabo de vir de um blogue onde pessoa só reclama de tédio, da vida não ter mais sentido, sinceramente, não consigo mais comentar posts assim. Antes eu era imbecil em comentar, hoje vejo que estas pessoas, ou estão escrevendo tais coisas para chamar a atenção ou precisam de um bom trabalho voluntário, quem sabe, visitar um hospital com crianças com câncer para aprenderem a dar valor à vida.
    Quantas pessoas, hoje, agonizando de dor, não dariam um minuto de suas vidas para "o tédio?"
    Muito profundo o texto. Gostei Sabrina.

    => CLIQUE => Escritos Lisérgicos...

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo :) Diga sua opinião e ela será lida e muito bem vinda, ela é essencial para a construção da identidade deste blog!

Sua opinião será respondida aqui mesmo e em seu blog, por isso peço que deixe seu link para que eu possa retribuir a visita.

Temos twitter: @sabrinabyme e @blogspiderwebs; siga para receber todas as atualizações.

Um recado

Estava esperando por você. Antes de continuar, você precisa saber de algumas coisinhas, ó: isso não é um diário, nem um blog de moda. É apenas um blog. E apesar de alguns textos desde site possuírem um caráter bem pessoal [ao enfatizar sentimentos e circunstâncias] e narrativas por inúmeras vezes cortantes e sensíveis em primeira pessoa, nem todos eles possuem caráter auto-biográfico e opiniões da própria autora.

SPIDERTV

PEQUENAS DOSES DE @SABRINABYME

'' Eu quis encontrar um jeito de nunca morrer, e a partir daí, eu comecei a escrever.''

'' Se tem uma coisa que eu aprendi sobre a dor, é que na maioria das vezes, ela também é a cura''

'' Que eu nunca perca essa vontade de escrever. Jamais. O mundo parece uma prisão, às vezes. Escrever é como abrir janelas.''


leia mais em Pensador.info>