Se esse fosse o último texto

14:58


Sabe quando alguma pessoa do seu meio social repentinamente vem a falecer e você fica intrigado com aquela situação? Isso acontece com a gente todos os dias. Então, lembra que antes ,quando você recebia essas tristes notícias, você conversava com amigos sobre o que aquela pessoa representava para o mundo? Às vezes, perguntava para a família sobre o que a pessoa era no trabalho, na escola, na igreja... e na maioria das vezes, só amigos ou colegas sabiam detalhes da vida daquela pessoa que se foi. 

Um dia isso mudou.As redes sociais não poderiam chegar mais longe. Com o avanço desse mundo que estamos mais do que inseridos, morrer é outra coisa. Hoje em dia, você quando sabe de algum caso de morte no seu meio social, procura o perfil daquela pessoa pra saber o que ela era, quais foram seus últimos pensamentos, reflexões, amigos, compartilhamentos, marcações, fotos, textos e frases. E por mais que a pessoa nunca mais esteja entre os vivos, ela sempre estará viva ali, na internet, onde diariamente compartilhava a sua vida. 

Todos nós estamos expostos ao risco de partir sem poder se despedir. Você já pensou? Se você fosse embora para sempre amanhã? Qual seria a ultima frase que deixaria no seu facebook? Qual seria a imagem que você ia deixar ali, o seu último registro nesse planeta? A sua última opinião ou conceito? Como as pessoas veem você naquele momento? Você já pensou nisso? Eu também não, até agora. 

Com o amadurecimento em pauta me fazendo assimilar coisas, criei uma teoria sobre o que sou e escrevo nas minhas redes sociais: ás vezes dramático ou sarcástico, ás vezes romântico ou piadista, ás vezes revolucionário e por inúmeras vezes em plena crise existencial. Você me conhecerá apenas na fase que eu estiver, não o meu todo. É como você pegar um trem no meio do curso, ou seja, se essa fosse a última chance de alguém saber o que eu penso, pelas redes, não decifraria realmente o que eu era, pois pegou a metade do caminho. 

E então, do dia pra noite, você partiu e se deixou ali como registro, e agora o holofotes estão virados contra você na obscuridade da sua falta de existir. De repente, as pessoas querem saber de você, mesmo nunca tendo te visto. Morrer chama atenção, e mesmo depois de partir, eles querem saber coisas de você, como sua biografia e tudo o que você representava.Você não imaginava que iria partir, e deixou ali o que pôde, quase nada. E os curiosos vão nas suas redes , sem cessar, por anos e mesmo assim, sabem somente partes de você, mas ninguém te conhecia tão bem quanto você mesmo. Só você podia contar pra eles , ao mais tardar. E você se foi, deixou sua história sem um próximo capítulo. Como uma folha em branco. E sem querer, decepcionou o mundo.

Eu não quero pensar na última frase que deixarei soar pelos meus lábios. Nem no último ‘’eu te amo’’ e nem na última despedida dolorosa. Nem no último olhar de ternura, muito menos última compra totalmente desnecessária que me trouxe sérios arrependimentos. Não quero pensar na última ligação, na última saída e na última coisa errada que já fiz. Não quero pensar no último adeus. E provavelmente, não quero pensar no último texto. Mas se, de fato, esse fosse meu último texto, eu iria em paz. Porque mais uma vez usei a escrita como a forma de me encontrar, sendo exatamente do jeito que eu idealizo, quando mais uma vez, me arrisco. Verdadeiramente humana. Sendo eu. Eu posso me ver. Como um espelho. Escrevo e me vejo, a partir daí, sou escrita.


' Eu quis encontrar um jeito de nunca morrer, e a partir daí, eu comecei a escrever.'' GOMES, Sabrina.


You Might Also Like

2 Comente!

  1. Sem palavras e com lágrimas aos olhos aplaudo-a de pé!
    - CONGRATULAÇÕES!

    ResponderExcluir
  2. Quando houve aquela tragédia em Santa Maria e os entes dos falecidos começaram a publicar textos e fotos dos mortos no Facebook, marcando-os, eu pensei exatamente nisso. É estranho ver que o perfil de alguém continua ali. As fotos, os vídeos, as páginas que ela curtia, as publicações que compartilhavam...tudo. E, de repente, aquilo ali nunca mais será atualizado. É difícil conceber que, uma pessoa tão viva sob a tela do computador, não está mais entre nós. E é por isso que eu nunca deixaria mensagem alguma de adeus, primeiro porque odeio despedidas, mas, principalmente, porque gosto desse efeito que as surpresas da vida causam. Mesmo que a tal surpresa seja seu próprio fim.

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo :) Diga sua opinião e ela será lida e muito bem vinda, ela é essencial para a construção da identidade deste blog!

Sua opinião será respondida aqui mesmo e em seu blog, por isso peço que deixe seu link para que eu possa retribuir a visita.

Temos twitter: @sabrinabyme e @blogspiderwebs; siga para receber todas as atualizações.

Um recado

Estava esperando por você. Antes de continuar, você precisa saber de algumas coisinhas, ó: isso não é um diário, nem um blog de moda. É apenas um blog. E apesar de alguns textos desde site possuírem um caráter bem pessoal [ao enfatizar sentimentos e circunstâncias] e narrativas por inúmeras vezes cortantes e sensíveis em primeira pessoa, nem todos eles possuem caráter auto-biográfico e opiniões da própria autora.

SPIDERTV

PEQUENAS DOSES DE @SABRINABYME

'' Eu quis encontrar um jeito de nunca morrer, e a partir daí, eu comecei a escrever.''

'' Se tem uma coisa que eu aprendi sobre a dor, é que na maioria das vezes, ela também é a cura''

'' Que eu nunca perca essa vontade de escrever. Jamais. O mundo parece uma prisão, às vezes. Escrever é como abrir janelas.''


leia mais em Pensador.info>