Vivendo em rede no século XXI

22:29


Não há como negar.  Sem perceber todos nós estamos mergulhando cada vez mais no contexto social da '' vida em rede'' . Como se deu essas mudanças na vida do ser humano? Eis a resposta: Internet.   Hoje a internet é uma ferramentas extremamente essenciais na vida das pessoas . Impossível estar alheio a a internet em pleno século XXI.   É incrível ver como as coisas acontecem: antes,  algo que só era usado como diversão, hoje está sendo usado para vários fins: estudo, comunicação, azaração, fama e por muitas vezes, ferramenta de trabalho . Uma vida , praticamente , tudo através de uma tela de um computador.

A questão que vamos abordar agora é essa: Viver em rede nunca foi fácil. Existem prós e contras. Já ouviu aquele famoso ditado? “A diferença entre um remédio e um veneno está só na dosagem”. Pois éinternet funciona assim na vida das pessoas. Vejamos exemplos práticos.


O lado positivo de viver em rede: Permite a troca de aprendizados, informações, conhecimentos, principal fonte de pesquisa, ferramenta de fazer amigos e até de encontrar um amor.  No meu cotidiano mesmo, conheço várias amizades e namoros que começaram virtualmente , e foram para a vida real. Como seriam nossos trabalhos sem o Google? E ainda:  viver em rede facilita muito na questão da timidez. As pessoas que por muitas vezes não tem coragem de falar alguma coisa com alguém olhando em seus olhos, se sente mais a vontade na internet. Além disso, a internet aproxima quem está longe, nos permite manter contato com pessoas de todo o mundo, além de podemos conhecer gente nova, novas culturas e formas de pensar.


O lado negativo de viver em rede: Muitas pessoas que vivem ''demais'' em rede acabam esquecendo a sua própria vida e a essência dela. A internet pode ajudar nos estudos , mas na grande maioria das vezes ela atrapalha.  A internet também afasta quem está perto de nós. As pessoas gastam tanto tempo as vezes em frente ao computador que perdem fases marcantes em sua vida. Tudo isso por desperdiçarem o tempo em jogos, redes sociais e afins. Outra coisa: muitos usam a internet como forma de denegrir a imagem de alguém, causando danos pessoais e até emocionais as pessoas, esse é o famoso '' Cyberbullyng '' . A internet é um meio de comunicação em massa. Então devemos ter muita cautela com que dizemos, fazemos virtualmente. '' Não faça algo que você não faria na sua vida real na internet'' pois é a sua reputação e a sua imagem que estão em jogo.

Duas faces de uma moeda.

amei essa foto *-* 

Eu imagino a vida em rede assim: o facebook é a rua da sua casa no centro da cidade, onde tudo que você faz está exposto para todos verem e julgarem da forma que acham melhor. Aí tem os grupos, como se fossem os agrupamentos de pessoas dessa cidade, que geralmente se reúnem para falar de um mesmo assunto .  Um blog ou tumblr é a sua casa, onde você mostra quem você é, e está sempre deixando o espaço aberto e arrumado para que as pessoas possam visitar e voltar mais vezes. O orkut  é a casa daquele parente seu que você só vai uma vez no ano no aniversário de alguém (que provavelmente você não sabe quem é). As fotos são as roupas que usamos. Os emails , as novas cartas. O Youtube é o cinema local. Os sites de compras, as novas lojas. O Google a grande livraria onde encontramos praticamente todas a informações que antes só encontrávamos nas enciclopédias .  Sim , é a realidade, ou pelo menos, tenta imitá-la. 

Minha opinião: Querendo ou não, viver em rede faz parte de nós e do ser humano no século XXI. Se isso é bom ou ruim, cabe só a nós decidirmos meus caros, afinal, todos nós somos os protagonistas da nossa própria vida e responsáveis pelas consequências de nossos atos. 

Agora é a sua vez de falar ! Qual a sua opinião sobre a vida em rede nos dias de hoje? O que achou da postagem?  Opine, concorde, descorde, acrescente , enfim,  faça a diferença , comente !



You Might Also Like

20 Comente!

  1. Olá Sabrina!

    primeiramente quero lhe dar os parabéns pela postagem!

    Achoque minha vida sem a internet já teria acabado! sem ela não teria conhecido pessoas como você, que me ajudam de certa forma a sobreviver!
    a internet é minha fonte de pesquisa, reencontros e encontros, como sou um cara tímido, na internet consigo ser eu mesmo sem medo!

    a internet me proporciona uma das coisas essenciais na vida, que é a vida social, mesmo sendo por um computador, conheço gente nova relaxo a mente! muito bom mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da comparação com a vida real.E eu acho que é exatamente isso.
    Tem muita gente que gosta tanta da vida na internet que quando chega na real não sabe o que fazer aonde acaba se tornando completamente ante-social.
    Adorei a abordagem do post
    beijos Sá ♥

    http://rascunhosperdiidos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo blog! [seguindo]
    O texto ficou muito bom e serve de reflexão porque a internet é o que nós fazemos dela, se usamos para o bem ou para o mal, para agregar coisas boas ou ruins. Também não devemos ser totalmente consumidos por ela, perdendo todo nosso tempo de viver o social, de fato.

    Tenho um blog de História e conhecimento: http://sapereaude10.blogspot.com.br/

    Espero que goste, beijo.

    ResponderExcluir
  4. Só faltou falar do Badoo, que é o novo bordel (eu não tenho uma conta lá) kkkk

    Engraçado que um dia desses um amigo comentou: "hoje as pessoas conversam pela internet, compram pela internet, namoram pela internet e pqp continuam vindo ao banco pessoalmente!!!"... este comentário irônico dele acho que exemplifica o fenômeno que ocorre hoje, a vida virtual se torna uma espécie de idealização daquilo que a real não pôde ser, mas ao mesmo tempo, faz-se de tudo para manter as duas separadas em diversos momentos, como se o ponto de convergência entre elas fosso nocivo...

    ResponderExcluir
  5. Tirando os erros de concordância, seu post está excelente. Já em 1995, estudos apontavam que para algumas pessoas ficar uma hora sem checar o e-mail era tão ou mais traumático do que um divórcio. Hoje já existe tratamento para pessoas viciadas em redes sociais. Não sei se você se interessa por filosofia, mas existe um livro chamado HUMANO, PÓS-HUMANO do filósofo DOMINIQUE LECOURT, a edição é da Loyola e deve custar uns 14 reais. Nesse livro, ele discorre filosóficamente sobre os impactos da tecnologia e seus avanços: questões como ética e inteligência artificial. Já que vocÊ se interessa por esse tipo de mudança fullgaz e que se torna imperativo na vida das pessoas, vai se surpreender ao saber (se ler o livro) que até o final deste século, as máquinas com sistemas de inteligência artificial já serão capazes de se auto-desenvolver, isto é, de evoluírem sozinhas, sem a necessidade de um cérebro humano por trás. Também já alerta o autor que em 2029 já não será mais possível saber o que é humano e o que é virtual. As coisas já estão acontecendo, não sei se você já ouviu falar do GOOGLE GLASS... se não, dê uma checada, mas basicamente é um óculos pelo qual vc poderá fazer tudo...de ligações, passando por fotografias, a chegar suas redes sociais. Diz a Google que até o final do ano que vem já estará no mercado, isto significa que o celular - como conhecemos - ficará obsoleto, pois o Google Glass também fará ligação e responderá por estimulo visual e de voz aos comandos do usuário: o próximo passo são os computadores atenderem a comandos de pensamento. Parece ficção, mas teóricamente isto já é possível. Veja bem...a tecnologia que será usada no google glass já é obsoleta militarmente. Desde os anos 90 que comandos por voz e estimulo visual são usado nos capacetes dos caças da marinha dos EUA, então, imagine em que ponto a tecnologia militar já está avançada hoje. Muito do que vemos em seriados como FRINGE, por ex, já está acontecendo em nível militar, e seriados como Arquivo-X já se tornaram obsoletos (e clássicos, aliás) no que diz respeito a inovações tecnológicas. Enfim... este assunto da pano pra manga!

    Abraços! Se puder passa no meu cafofo, se gostar, dê um curtir =)

    http://fagocitandosp.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Concordo o que você falou flor. Lembro que alguns anos atrás eu "vivia" mais na vida virtual do que na real, se bem que nessa época a minha vida nem era tão boa assim que merecesse ser vivida. Mas, o tempo foi passando e oportunidades chegaram. Hoje, passo a manhã na escola e passo parta da tarde na aula de balé ou aula de contra baixo. Quando chego em casa vou assistir TV, fazer tarefa e venho ver o que está acontecendo na internet. Não a abandono! Até por que várias amigas minhas são de outras cidades e nos comunicamos via twitter ou msn ou facebook. E tem a família também! Isso é que dar morar num estado diferente.
    Primeiro post que leio e já adorei teu blog :)

    ResponderExcluir
  7. Discernimento, equilíbrio, prudência: é isso que falta a muitas pessoas, tanto utilizando a internet como qualquer outra mídia.
    Eu mesma me policio para não "viciar", se bem que é difícil, as exigências do mundo real, da vida adulta tomam um bom tempo. Mesmo assim, cuido para não cair em exagero. Quando comecei a utilizar a internet, admito que exagerei um pouco, como criança com um brinquedo novo.. mas passou. O problema é que muita gente não perde essa euforia do "brinquedo novo" e se torna alienada.

    ' Não faça algo que você não faria na sua vida real na internet''Muitas pessoas parecem esquecer - ou nunca aprenderam - essa regrinha de ouro; não somente bullys, mas também pessoas ingênuas, desavisadas.
    A internet, como qualquer outro meio de comunicação, é uma faca de dois gumes, e pior, bem afiados.. texto bem sensato e objetivo o seu.

    ResponderExcluir
  8. Oi querida... acho que é preciso ter um ponto de equilíbrio sempre, né? Mesmo tendo essa vida em rede, não podemos nos esquecer que a vida real continua passando. Eu sou internauta de carteirinha... mas, vez ou outra preciso me dar um puxão de orelha para não esquecer de olhar para o mundo que roda aqui fora!

    bjks JoicySorciere => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
  9. Oi, Sabrina! Que interessante sua postagem! O melhor foi a definição sobre as diversas redes sociais, ótimas comparações. Descobri o quanto ficamos vulneráveis e visíveis quando meu perfil, totalmente aberto no Face, começou a ser fuçado por quem eu não gostaria. Fechei na hora e hoje só quem tem acesso são os amigos, e não adiciono quem não conheço. sobre o blog, realmente eu hoje acabo pensando melhor sobre o que eu escrevo, porque a visibilidade aumentou e, de qualquer forma, o que escrevemos é nossa responsabilidade, embora o outro tenha a liberdade de ler, ou não. Um abraço, curta muito seu domingo!

    ResponderExcluir
  10. Amei a postagem Sabrina, muito boa, com informações verdadeiras e a comparação das redes sociais com elementos de nossas vidas reais foi muito boa. Viver em rede pra mim, hoje, é mais do que necessário, faz parte dos meus dias, posso até dizer que é quase um vício, se isso não estivesse já tão encravado em minha rotina e agora, considero normal. Se é bom ou ruim, acho que depende de quem usa a rede e como usa, né. Tá certo que existem perigos e armadilhas por aqui, mas uma pessoa precavida e que tenta entender das coisas por aqui, vai saber se cuidar.

    Beijos ><

    ResponderExcluir
  11. Oi Sa,

    Tudo bem? A sua postagem foi de extrema sabedoria. Fico pensando na sua geração que nasceu nesse meio e lembro que o google um dia não era nada para a minha funcionalidade diária e hoje representa esse mundo.

    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
  12. Ola Sabrina,
    Rolei de rir com a comparação do Orkut como sendo a casa daquele parente distante que visitamos uma vez ao ano, rsrsrsrs, pior que é mas dá saudades dos bons tempos!

    Vejo a rede como mais um elemento da vida que temos que usar com sabedoria, pois do contrário, como falou no texto o remédio se torna veneno!

    Muito bom!


    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Crítica <--

    ResponderExcluir
  13. Sabrina, enquanto lia seu texto fiquei com a palavra equilíbrio na cabeça. A internet é uma realidade, mas não é tudo. Sabe aquele comercial de protetor solar? Queremos o mundo virtual sim, mas queremos também o sol! Agora, como eu fiz faculdade sem a net, não sei mais responder.

    ResponderExcluir
  14. Acho que para muitos viver em rede se tornou algo necessário para trabalhos e etc, mas para outros isso realmente virou um vicio serissimo! Agora, cabe a população ou ao governo ajudar as pessoas a terem consciência sobre isso?

    bjbj http://viceveersa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Adorei o texto. Acredito que a internet só tenha lados positivos, isso, é claro, para quem sabe usar.
    Existem pessoas que ficam alienadas por causa de redes sociais. Mas ai a culpa não é da internet, é da pessoa.

    ResponderExcluir
  16. Interessante Sabrina, admito que comecei a ler do fim para o começo. Justamente porque o final me chamou atenção tive vontade de voltar ao inicio. Ignore minhas loucuras.
    Enfim, acho difícil adicionar algo que os outros já não tenho comentado aqui. Concordo em muitas, senão em todas as coisas que escreveu. Assim como Platão considerou a escrita um pharmakón, considero a internet do mesmo modo. Uma via de mão dupla. Nós, que dirigimos nossas vidas, escolhemos por onde vamos passar.

    Beijo,
    http://www.ideias-defenestradas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Posso estar parecendo do contra, contudo, não sou e você o sabe bem.
    O lugar mais pessoal, embora de vez em quando pareça impessoal que tenho na web é a blogosfera. Por quê? Porque são em meus escritos que acabo por revelar, mesmo que em entrelinhas, coisas das quais passo ou passei, minhas visões sobre o mundo, seja em posts e comentários e isto é a verdadeira realidade de uma pessoa. Seus escritos falam muito mais do que elas mesmas falariam.
    Não sou adepto a exposição massiva como muitos fazem, portanto, o Facebook fica longe de ser a rua de alguma cidade minha, sou mais como um "forasteiro" por lá, apenas uso como entretenimento e divulgação de minhas obras, nunca de minha vida.
    Eu sei que o cyberbullying é uma coisa ruim. Eu já passei por bullying na vida real e o máximo de cyberbullying que encarei foi por celular, para mim, o cyberbullying é perigoso quando entra em nossa vida real e, pela web, só entra em nossa vida real se permitirmos, se expomos nossa vida no virtual para quem convive (ou não, o que é mais perigoso) conosco, algo que evito ao máximo.
    Quanto ao tempo de internet, eu fico mais tempo quando não tenho o que fazer. Eu nunca trocaria um chopp com os amigos, um show, uma balada, para ficar conversando com desconhecidos. Sou muito cético a amizades e namoros virtuais, se a vida como ela é já é efêmera, imagine aqui. Há os que tem mais coragem de revelar quem são pela web, contanto, há de se ter cautela, pois há muitos que querem revelar aquilo que gostariam de ser e nem chegam perto disto.
    Aqui não há garantias de nada em relação a relacionamentos. Se na realidade já não é, aqui as chances diminuem consideravelmente. Nunca me apego a ninguém e isto tive consciência desde a época do Orkut, onde vi muita gente se ferrando. Dizem que os inteligentes aprendem com suas próprias experiências e os sábios com as alheias. Aprendi com as alheias que não posso revelar muito de mim porque, por vezes, perdemos a noção de que isto não se resume a nossa tela e vai muito além do que possamos imaginar e, por vezes, há pessoas que entregam toda uma vida nas mãos de pessoas que sequer conhecem.
    Há muita carência, eu acho. Basta um pouco de contato e pessoa já vem dizendo lhe amar, lhe considerar amigo... Eu fujo de gente assim. Gente assim geralmente pega pessoas vulneráveis, arrancam suas confidências e quem poderá garantir que guardarão para si? Você confiaria em contar suas histórias mais secretas a um estranho na rua? As pessoas não percebem que fazer isto aqui é mais ou menos por aí. Infelizmente, a carência tirou a percepção de muitos e não culpo a internet, ela apenas é um meio mais fácil de suprir isto e muitos o sabem e tiram proveito.
    Eu procuro manter o equilíbrio, me afastar de trollagem sem nexo como geralmente acontece e, cuidar para não cair na distração que leva a procrastinação em meu trabalho que, infelizmente, depende 100% do computador.

    ResponderExcluir
  18. Oi Sabrina, não me lembro se essa é a primeira vez que visito seu blog mas adorei esse post. Bem interessante e muito bem colocadas as suas opiniões sobre a internet como um todo. Esse final comparada a internet com aspectos do ``mundo real`` realmente se encaixa bem com aquilo que ela se tornou hoje em dia mesmo. Incrível como o poder dessa ferramenta (se que ainda podemos chamar só por esse nome) tem um poder que cresce mais a cada dia, principalmente no que diz respeito a redes sociais cuja influência tem se estendido não só no campo dos relacionamentos mas também em outras áreas como publicidade, por exemplo.

    Mas, enfim, fica essa dica importante sobre como devemos nos portar diante dessa nova realidade criada pelo mundo virtual cada vez mais poderoso e maior.

    Parabéns pelo post, está muito interessante. Gostaria inclusive de compartilhar seu link.

    ResponderExcluir
  19. A internet facilita a comunicação, abre portas e revoluciona a cada dia o conceito de sabedoria e interação. Como a maioria das coisas, tem lados positivos e negativos, basta ser esperto para não cair em armadilhas bobas - ou não.
    Beijos.

    http://sabrinanunees.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. Acho que você já falou tudo: o que a internet é em sua vida é você que decide. Explorar seus lados positivos e negativos, depende de cada um.
    É ótima para conhecer novas pessoas e culturas: fato! E digo isso até por causa da Blogosfera em Rede, um ótimo exemplo para isso rsrssr
    Abraços

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo :) Diga sua opinião e ela será lida e muito bem vinda, ela é essencial para a construção da identidade deste blog!

Sua opinião será respondida aqui mesmo e em seu blog, por isso peço que deixe seu link para que eu possa retribuir a visita.

Temos twitter: @sabrinabyme e @blogspiderwebs; siga para receber todas as atualizações.

Um recado

Estava esperando por você. Antes de continuar, você precisa saber de algumas coisinhas, ó: isso não é um diário, nem um blog de moda. É apenas um blog. E apesar de alguns textos desde site possuírem um caráter bem pessoal [ao enfatizar sentimentos e circunstâncias] e narrativas por inúmeras vezes cortantes e sensíveis em primeira pessoa, nem todos eles possuem caráter auto-biográfico e opiniões da própria autora.

SPIDERTV

PEQUENAS DOSES DE @SABRINABYME

'' Eu quis encontrar um jeito de nunca morrer, e a partir daí, eu comecei a escrever.''

'' Se tem uma coisa que eu aprendi sobre a dor, é que na maioria das vezes, ela também é a cura''

'' Que eu nunca perca essa vontade de escrever. Jamais. O mundo parece uma prisão, às vezes. Escrever é como abrir janelas.''


leia mais em Pensador.info>