Meu comodismo sem roteiro

02:47



Joguei o roteiro fora. Acomodei-me. Mas vem cá, você realmente sabe o que é comodismo?  Eu sabia o que era, mas agora, acho que não. Ou acho que sei mais do que as outras pessoas. Não sei, acho que é toda essa confusão que se passa na minha mente agora. Não sei por qual motivo me acomodei nessa cápsula de mediocridade estática, deste modo, desta maneira e sem sentido nenhum.

Sempre achei que se acomodar era deixa algo para depois, do mesmo jeito, sem querer mudar, sem querer ser melhor, ou pior. Nem querer ser , pra ser sincera. Só permanecer e pronto, acabou. Ando querendo agir sem querer fazer efeito. Assim na vida social e nas outras atividades. Nem quente, nem fria. Morna. Isso é comodismo, só pode ser. Mas o comodismo que eu falo, é outro. 

Esse comodismo que falo é quando as palavras já não querem se encontrar num pequeno conto ou poema, aí eu desisto delas e me acomodo na minha imaginação que sempre está na ânsia de compô-los toda vez que se vê em qualquer situação aparentemente inspiradora. Quase todas.  

Esse comodismo é quando o vazio começa a fazer sentido. Quando aquelas músicas e textos de escritores célebres e renomados começam a se encaixar no agora, no passado, no futuro. No meu eu.  E aí fico vulnerável a essas coisas da vida que antes, só aconteciam na vida das outras pessoas. E deixo me levar pelas palavras que não são minhas, permitindo cada vez mais que a minha vida seja narrada e não vivida. 

Passo, quase que instantaneamente,  a ser apenas uma intérprete coadjuvante ao em vez de protagonista do que chamo de existir, do que chamo de...viver.E agora fico na espera do próximo capitulo dessa novela, livro, música, poema ...o que for, mas que sempre acabamos por chamar de ‘’vida’’. E quer saber? Já posso trocar de canal? Virar a página? Talvez, apertar o backspace?

Não quero decidir. Nem tentar. Nem atuar. Nem escrever um novo roteiro.Nem compor uma nova trilha sonora. Talvez eu me encaixe em outro roteiro qualquer por ai, mas enquanto isso , fico na espera. 

Esse é o meu novo modo de ver a vida. Sim, este é o meu comodismo sem roteiro. 

You Might Also Like

9 Comente!

  1. Se eu te conhecesse melhor, diria que está passando por uma crise existencial, e que por conta disso tem medo de tomar alguma decisão. Mas de uma coisa sei, sempre somos protagonistas da nossa história, e ao mesmo tempo somos nossos roteiristas. Comece hoje a escrever sua grande aventura! beijos e bom domingo!

    ResponderExcluir
  2. Que bela reflexão....perfeita. Tento me policiar, porém, devo cair no comodismo. Como todos ou quase todos.

    ResponderExcluir
  3. Se está se sentindo bem assim, é o que importa.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Sabrina!!! Seu texto é um reflexo da maturidade pós adolescência que você começa a enfrentar. É um comodismo produtivo, um ócio criativo, necessário para o entendimento da vida que antecede a retomado de planos (iguais ou não)...Vejo essa fase como natural, e tenho certeza que em breve sua personalidade a chamará para atuar em sua vida de novo. Por enquanto, acho que você está de férias de si mesma.
    Sei que você gosta de fotografia, abri um blog somente sobre o assunto, talvez goste de visitá-lo. Um abraço, ótima semana!

    www.omirantedaimagem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Gostei do texto!
    É a famosa inércia. (: Ou mais do que isso...
    E acho que backspace num funciona em tais condições. :T

    ResponderExcluir
  6. Oi Sa,

    Tudo bem? Tem dias que se sentimos assim, mas passa. Sempre o dia chega.

    Beijos e força aí.

    Lu

    ResponderExcluir
  7. Olá Sabrina,
    Existem muitos "sintomas" para o comodismo, e poderia descrevê-los aqui agora, no entanto, para o tipo de comodismo que citou e que se faz presente em seu ser, somente você pode ter a real noção do que seja, mas que seja apenas um breve momento, uma fase pela qual a maioria das pessoas que trabalham com a cultura e com a produção de saber passam!

    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Critica <--

    ResponderExcluir
  8. Olá, sabrina. Como vai? Acomodada, suponho.? auhsduahsduash Brincadeira. Só mesmo pegando carona no seu post.
    Menina, sei como é isso. As vezes a gente se depara com um " só sei que nada sei" que vira um dilema só.
    Mas pensa que você tem que ser e agradar a você mesma, não os outros. Quando a gente é a gente, ainda que chateie outras pessoas, acabamos adquirindo o respeito devido por não tentarmos ser quem não somos. Sacou?
    Essa coisa de comodismo a qual você se refere, é natural. Só tome cuidado pra não encucar com isso. eheheheheh

    Xêro, minha linda.

    Cléo - Conheça o blog Vejo Por Aí...

    ResponderExcluir
  9. Hey Sabrina
    Tudo joia??

    Entendo perfeitamente o que é isso, já aconteceu comigo em 2010, mas o engraçado é que hoje simplesmente não consigo ficar parado, tenho que agir senão na minha cabeça tudo que eu conquistar não será meu e sim do destino que resolveu me dar de bandeja e quando isso acontece simplesmente não tem gosto nem sabor algum pra mim.
    Abç

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo :) Diga sua opinião e ela será lida e muito bem vinda, ela é essencial para a construção da identidade deste blog!

Sua opinião será respondida aqui mesmo e em seu blog, por isso peço que deixe seu link para que eu possa retribuir a visita.

Temos twitter: @sabrinabyme e @blogspiderwebs; siga para receber todas as atualizações.

Um recado

Estava esperando por você. Antes de continuar, você precisa saber de algumas coisinhas, ó: isso não é um diário, nem um blog de moda. É apenas um blog. E apesar de alguns textos desde site possuírem um caráter bem pessoal [ao enfatizar sentimentos e circunstâncias] e narrativas por inúmeras vezes cortantes e sensíveis em primeira pessoa, nem todos eles possuem caráter auto-biográfico e opiniões da própria autora.

SPIDERTV

PEQUENAS DOSES DE @SABRINABYME

'' Eu quis encontrar um jeito de nunca morrer, e a partir daí, eu comecei a escrever.''

'' Se tem uma coisa que eu aprendi sobre a dor, é que na maioria das vezes, ela também é a cura''

'' Que eu nunca perca essa vontade de escrever. Jamais. O mundo parece uma prisão, às vezes. Escrever é como abrir janelas.''


leia mais em Pensador.info>