O universo e a estrela - do meu amor, para o seu amor.

15:53



Fui me aventurar no universo como mais uma estrela no meio de tantas outras.  Passei por muitos planetas, e principalmente, por muitas galáxias. Tracei meus planos e rotas, queria ser a única, ser única era o que eu queria. Queria brilhar, mas brilhar de verdade, mais do que as milhares de estrelas , aquelas nas quais sempre me cercariam.

Os anos luz passam como milhas. Triste fim, ou seria, o cúmulo da agonia? Foi quando percebi que ninguém me notava , ninguém me queria. Para nada eu serviria. Nem para estrela cadente, nem para luz do dia. Tudo era maior, e assim, não brilharia jamais para a maioria. Quem me olharia? Foi quando percebi aquela estrela que estava longe, mas sempre me perseguia. Mas eu pouco ligava para sua pequena luz, que sempre me olhava e nunca dizia. Eu queria mais do que sua simplicidade me oferecia.

Eu não tinha a beleza de um meteoro e nem a magnitude de um asteroide  Nem a importância dos satélites naturais. Ali, todos tinham as suas funções. E eu, o que seria? Nada mais do que uma estrela, sofrendo de agonia, por querer ser bela e única, sem saber ao certo se conseguiria. Eram inúmeras as belezas daquela imensidão galáctica, ninguém me aplaudia. A não ser aquela estrela, que me olhava, dia e noite, noite e dia. Eu ignorava com ousadia, fugindo de sua paz, de sua imensa paz. Eu queria mais, muito mais.

Os corpos celestes eram frondosos: Meu Deus! Que agonia! Eu nunca chegaria a sua maestria. A luta já era desgostosa, eu nunca sorria e sonhava todos os dias com o grande, ao ver os cometas na folia. Eu queria aquela alegria, que parecia que nunca, jamais, me possuiria. Mas aquela estrela ainda me observava e jamais me perdia, e toda vez que me olhava, ela sorria.

Deixei de sonhar, a conquista cada dia se tornava mais efêmera e a espera, nada sadia. Talvez não era pra mim aquela alegria, já não tinha saída. Voltei de onde vim: das noites solitárias sem nuvens, como mais uma daquelas inúmeras estrelas, sem significado, sem luz , sem soberania. Ser estrela solitária,  era o que o destino me reservara um dia. Mas eu queria saber quem era aquela pequena estrela de beleza única e bondade rara, que me olhava e transmitia a suas inúmeras sutilezas libertando-me da melancolia. 

De qual parte ela seria? De onde será que vem aquela pequena estrela que já muito me valia? Será genuína parte de um cruzeiro do sul, os das três Marias? Estava mais para uma estrela guia e por fim, eu não sabia. Foi quando num momento de audácia, ousei a indagar aquela que jamais cairia, pela sua força que me passava sempre que conseguia:

 Quem era você, o que você queria? Qual é o nome da estrela que sempre me seguia?

– Eu sou pequena, mas não aguento ver sua agonia. Estava aqui pra sorrir, sempre, até mesmo se não precisaria. E se fosse preciso, até a as mil galáxias eu chegaria só para ver se você sorria. Chega pra cá, sente na mesa. Tenho pães e um pouco de alegria. E respondo com ternura o aquilo que sempre te indagaria: ''Meu nome é Mãe, não sou o que você queria, mas acredite: jamais te abandonaria.''

E foi nesse dia que eu conheci a magnitude da Estrela Mãe, a qual eu sabia que sempre me protegeria e sobretudo - amaria.  

Dedicado à minha estrela mãe,
 por mim muito querida.

You Might Also Like

5 Comente!

  1. Texto autoral , escrito, idealizado e digitado somente por mim (Sabrina Gomes), inspirado na pessoa que eu mais amo na vida: minha mãe. Caso for homenagear alguém, e quiser usar o texto, não tem problema algum! Só não esqueça de dizer o nome de quem o escreveu! Obrigado de coração e espero que gostem e se identifiquem de verdade. Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  2. Que bela homenagem sua mãe recebeu....parabéns pelo texto, pela homenagem.

    abs

    ResponderExcluir
  3. Que lindo! Amei a comparação com estrelas, parece que faz vocês maiores, ficou ótimo!
    Beijos ♥

    Conspirantes

    ResponderExcluir
  4. Oi, Sabrina, que linda homenagem, saber reconhecer o valor da mãe como guia é sinal de que você tem bom coração. Gostei da escrita do texto, com recursos poéticos que deixam os escritos leves. Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Estou lendo em ordem decrescente e percebo aqui o quanto dá valor a sua mãe, isto denota bom caráter.

    => CLIQUE => ESCRITOS LISÉRGICOS...

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo :) Diga sua opinião e ela será lida e muito bem vinda, ela é essencial para a construção da identidade deste blog!

Sua opinião será respondida aqui mesmo e em seu blog, por isso peço que deixe seu link para que eu possa retribuir a visita.

Temos twitter: @sabrinabyme e @blogspiderwebs; siga para receber todas as atualizações.

Um recado

Estava esperando por você. Antes de continuar, você precisa saber de algumas coisinhas, ó: isso não é um diário, nem um blog de moda. É apenas um blog. E apesar de alguns textos desde site possuírem um caráter bem pessoal [ao enfatizar sentimentos e circunstâncias] e narrativas por inúmeras vezes cortantes e sensíveis em primeira pessoa, nem todos eles possuem caráter auto-biográfico e opiniões da própria autora.

SPIDERTV

PEQUENAS DOSES DE @SABRINABYME

'' Eu quis encontrar um jeito de nunca morrer, e a partir daí, eu comecei a escrever.''

'' Se tem uma coisa que eu aprendi sobre a dor, é que na maioria das vezes, ela também é a cura''

'' Que eu nunca perca essa vontade de escrever. Jamais. O mundo parece uma prisão, às vezes. Escrever é como abrir janelas.''


leia mais em Pensador.info>