O que eu aprendi com todas as pessoas que me decepcionaram

18:56



Se por acaso minha vida fosse baseada em temporadas, como uma série de TV eu diria que estou mais ou menos  na transição entre a terceira e a quarta temporada. Eu me sinto uma viajante em minha própria história,e olha, nunca fui pra tão longe quanto agora. São tantos novos aprendizados que às vezes nem me reconheço. É legal olhar e perceber o quanto mudei, por dentro e por fora. E que isso não aconteceu numa distância de anos muito longos, mas sim de meses ou até dias. É engraçado mas eu percebo que nossa vida automaticamente entra em ciclos, mesmo se nós não permitimos. E isso é o que me faz buscar sentido em tudo aquilo que complementa a minha história, ou seja, as pessoas, os momentos e todo o resto.

Eu sou um pouco diferente porque eu costumo usar muito sentimento em tudo. Tudinho mesmo. E não consigo ser nada além do que eu mesma. Então se eu gosto de você, eu gosto mesmo. Não sei sorrir sem provocarem meu sorriso, não sei amar sem me apaixonar, não sei forçar amizade e nem afeto. Não é muito difícil eu gostar das pessoas. Basta elas não serem mal intencionadas, grosseiras, esnobes e interesseiras. Dificilmente eu percebo isso. E por isso, adivinhem só: eu sempre me decepciono. 

Mas somente hoje eu acordei com uma imensa vontade de agradecer a Deus pelas pessoas certas e as erradas que Ele coloca em minha vida diariamente, assim, sem explicação. Sim, as erradas também. O melhor é quando ele coloca pessoas que conseguem exercer as duas funções: parecem ser as certas e depois decepcionam da pior forma. Percebi se não fossem todas essas pessoas, minha vida seria muito sem graça. Até as erradas, aquelas mesmo, que me causaram dor, que me fizeram sofrer e me pagaram com decepção. Até elas.
 
Sempre fugi da dor, de tudo que me quebrasse e que me fizesse pensar em um monte de coisa triste assim que eu acordo de manhã. Mas que vida sem graça seria a minha se não existisse esses momentos melancólicos, às vezes? E penso o quão chato seria sorrir, se antes, não tivesse aquela dorzinha chata no meu peito me incomodando. Meu sorriso seria apenas um ato quase involuntário e não motivo de vitória. Porque a dor, na maioria das vezes, é a cura. Cicatrizes também são fundamentais, porque elas nos fazem lembrar do grau e do local daquela dor, pra que aquele lugar jamais venha a se machucar de novo. O que eu teria pra contar pros meus filhos sobre o meu passado? Um quadro de glórias? Que experiências eu teria? O que eu iria aprender se viesse tudo pronto assim, perfeito? Eu não iria aprender nada, e de quebra, conseguiria acabar com toda a perfeição porque teoricamente, não nascemos nem sabendo a dar valor ao que é bom. Como já diz uma letra de uma música ''Só se sabe o que é bom quando conhece o ruim''.

Não é legal ficar mal. Porém, se não existissem pessoas que nos decepcionassem, ficaríamos muito vulneráveis a tudo. E dificilmente saberíamos dar valor a quem merece realmente. Pessoas assim sempre irão existir. Algumas farão isso de forma leviana, pra te machucar mesmo. Outras farão isso de forma totalmente despretensiosa, sem querer, sabe. Temos que saber lidar. Temos que aprender a ser fortes. A vida nos exige hoje em nosso dia-dia.

E eu aprendi na marra.

You Might Also Like

2 Comente!

  1. Que belo texto.........que bela reflexão.....lindo.

    ResponderExcluir
  2. Ando refletindo bastante sobre isso e inclusive escreverei sobre tal tema. O fato é que o sofrimento é essencial à vida. Gostei do texto e da forma como o abordou.

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo :) Diga sua opinião e ela será lida e muito bem vinda, ela é essencial para a construção da identidade deste blog!

Sua opinião será respondida aqui mesmo e em seu blog, por isso peço que deixe seu link para que eu possa retribuir a visita.

Temos twitter: @sabrinabyme e @blogspiderwebs; siga para receber todas as atualizações.

Um recado

Estava esperando por você. Antes de continuar, você precisa saber de algumas coisinhas, ó: isso não é um diário, nem um blog de moda. É apenas um blog. E apesar de alguns textos desde site possuírem um caráter bem pessoal [ao enfatizar sentimentos e circunstâncias] e narrativas por inúmeras vezes cortantes e sensíveis em primeira pessoa, nem todos eles possuem caráter auto-biográfico e opiniões da própria autora.

SPIDERTV

PEQUENAS DOSES DE @SABRINABYME

'' Eu quis encontrar um jeito de nunca morrer, e a partir daí, eu comecei a escrever.''

'' Se tem uma coisa que eu aprendi sobre a dor, é que na maioria das vezes, ela também é a cura''

'' Que eu nunca perca essa vontade de escrever. Jamais. O mundo parece uma prisão, às vezes. Escrever é como abrir janelas.''


leia mais em Pensador.info>