A gente tem o amor que merece

11:25



































Sabe quando a gente perde uma coisa muito valiosa pra nós? Eu sei. Quando eu era criança, uma vez, perdi um objeto de muito apego pra mim naquela época. Criança perde tudo e eu, a rainha da distração, sempre tive esse lado desleixado bem aflorado desde cedo. O objeto em questão era necessário. Então me movi aos quatro cantos a fim de recuperá-lo. Procurei em vários lugares, me decepcionei ao criar hipóteses vazias (será que está em baixo do sofá!ah não...) e por fim, depois de revirar a casa por completo, lá estava eu: sozinha, triste, magoada e sem o meu objeto em questão. Que decepção. A gente só aprende a dar valor quando perde, e são nessas horas, que resolvemos pensar: por que eu não tomei mais cuidado?

Depois de tanto procurar e de desistir, nem notei da importância daquele objeto na minha vida. Às vezes sentia um vazio, uma falta bem grande mas as distrações cotidianas se encarregavam de fazer eu me esquecer da dor. Passaram-se uma hora, duas...três. Passou um dia, dois...uma semana. E uma vez, quando eu menos esperei, achei o tal objeto que já tinha desistido de encontrar. Eu jurava que estava na sala! Bem, estava no quarto. Então eu entendi que se eu merecia aquele objeto, eu tinha que zelar por ele. O que é nosso sempre encontra uma forma de chegar a nós.

Onde eu tô querendo chegar? Vou te contar. Você acredita em milagres? Bem, então eu acho que a partir daqui a gente pode começar a conversar, querido.

O amor também é assim. Um objeto perdido. E que eu, consequentemente, havia deixado de procurar. Você lembra da nossa primeira troca de olhares? Afinal, como não lembrar? Um coração igual o meu, assim, meio machucado, não estava pensando em mais nada além de descanso e de paz. Você lembra, eu sei. E isso, meu bem, esse meu magoado coração certamente resolveu aprender sozinho. E você percebeu. Desde a minha última decepção amorosa, eu aprendi muita coisa sobre o amor. E descobri que às vezes estar só não é de todo ruim. Você nunca está impedido de navegar em aventuras sentimentais e sempre que quiser, pode experimentar um pouco da vaidade de ser cobiçado por aí. Uma casa vazia sempre atrai novos inquilinos. Mas meu coração, até então, estava de portas trancadas.

Acostumada com o difícil, encantei-me pela sua facilidade. A atração entre duas almas deveria ser algo mais complicado, ainda mais dessa vez, depois de tantos tropeços. Afinal...pontos incomum, ok, isso é normal. Tenho vários contatos nesse estilo. Uma conversa agradável? ok - mas no meu dia-dia , quantas não eram? Conselhos, abraços...tudo isso eu tinha, e tenho. E você não agiu de nenhuma forma espetacular, pra me impressionar.  Essencialmente comum, é assim que eu posso te descrever. Mas mesmo assim, minha alma resolveu se abrir pra você. E aí o que aconteceu foi um milagre. Pois não teve o momento, a hora e o lugar. As coisas simplesmente se encontraram.

Estranho seria não dizer que a sorte resolveu sorrir pra mim. E se ela tem um sorriso, ah, com certeza se parecia assim...com o seu. A sorte, na verdade é Deus. Não há mais motivo pra explicar a obra do divino. Eu aprendi muito com as dores de amores falidos, eu aprendi a trancafiar as portas do meu coração - esse foi o conselho do mundo. E quando eu decidi abrir, não foi fácil. Foi difícil ter que não dar ouvidos as coisas ruins que o mundo me dizia todo dia. Você me disse pra fechar os olhos e se deixar levar. Como não se apaixonar por tanta coragem? Sem evitar, o fiz. E ainda faço.

Então se o mundo é amargo, que o amor seja doce. E se as decepções nos tornarem duros, que a esperança nos faça ter coragem no amor pra sempre recomeçar. Que fechemos os olhos para tudo de ruim insiste em nos desanimar. De que adianta querer encontrar o amor se a gente não se deixa encontrar? Cuide do seu coração, arrume a casa...um dia alguém necessitará de abrigo. E então, você deixará entrar, sem ao menos saber o motivo. Sabe por quê? Certa vez ouvi alguém dizer ''a gente tem o amor que merece''. Por isso, meu bem, desde já quero apenas lhe informar: nós nos merecemos demais.

You Might Also Like

1 Comente!

  1. Se eu disser que chorei enquanto lia será clichê demais?... Podemos dizer que esse texto mexeu bastante com o que está aqui dentro de mim!.... Amei!

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo :) Diga sua opinião e ela será lida e muito bem vinda, ela é essencial para a construção da identidade deste blog!

Sua opinião será respondida aqui mesmo e em seu blog, por isso peço que deixe seu link para que eu possa retribuir a visita.

Temos twitter: @sabrinabyme e @blogspiderwebs; siga para receber todas as atualizações.

Um recado

Estava esperando por você. Antes de continuar, você precisa saber de algumas coisinhas, ó: isso não é um diário, nem um blog de moda. É apenas um blog. E apesar de alguns textos desde site possuírem um caráter bem pessoal [ao enfatizar sentimentos e circunstâncias] e narrativas por inúmeras vezes cortantes e sensíveis em primeira pessoa, nem todos eles possuem caráter auto-biográfico e opiniões da própria autora.

SPIDERTV

PEQUENAS DOSES DE @SABRINABYME

'' Eu quis encontrar um jeito de nunca morrer, e a partir daí, eu comecei a escrever.''

'' Se tem uma coisa que eu aprendi sobre a dor, é que na maioria das vezes, ela também é a cura''

'' Que eu nunca perca essa vontade de escrever. Jamais. O mundo parece uma prisão, às vezes. Escrever é como abrir janelas.''


leia mais em Pensador.info>