Por onde você andou?

13:45



Parece vazio aqui. Você se lembra de quando tudo costumava a ser saudades, lembra? Era assim, como agora, parecido. Você estava tão distante, viajava para a culpa sempre que podia. Vivia em  movimento, mesmo seu corpo estando sempre no mesmo lugar. Você procurava algo que nem mesmo sabia o que era. O que você tanto buscava, menina? Você não entendia. Mas procurava. Era doloroso, vish, como era...menina. Ah, a dor. Apenas existia uma dorzinha daquelas chatas e cheia de dúvidas, que incomodava ... e como incomoda. Uma dor que parecia que nunca ia passar.

Eu estava aqui te esperando. O tempo todo. Eu estava aqui quando a sua solidão me acordava todas as noites, em meados do verão, pra te acalentar. Eu estava aqui torcendo por você. Era só eu. Eu era aquilo que você sempre esperou, e que esteve sempre ao seu lado, mas que você, tolinha, nunca parou pra escutar. Era você, era eu, era aquilo lá. Aquilo mesmo.

Acorda, menina.

Ei menina, respira. A sua vida anda muito agitada. Ainda que eu soubesse de todas as respostas do mundo, ah, menina, isso não seria o suficiente. Essa vida é uma eterna brincalhona. E menina...você é tão inocente. Você deveria pedir a Deus um pouquinho de malandragem, que nem a Cássia. Você tá precisando parar de ir na caravana dos desesperados, menina. Ah menina...você é tão doce. Tão doce que não se conforma com esse mundo tão amargo, mas o engole, como aqueles remédios que tomamos pra febre e resfriados. Nem é tão difícil, aliás, é bem simples. Menina, você só precisa enxergar - nem toda piscina dá pra mergulhar. Você não sabe nadar. Lembra?

Aprende, menina.

Vai menina, tenta. Você já não anda tão inspirada o quanto antes, mas menina, pensa bem em tudo o que te cerca... há tanta beleza por aí. Mais do que antes. Há tanto verde, há tanta alegrias, há tantas coisas divinas...tanta serenidade. Menina você consegue, você pode. Só pensa. Imagina. Cria. Vai menina, eu acredito em você. Eu acredito. Pega o papel e a caneta...e escreve. Faz como antes, menina. Faz como sempre. Você sabe, esse mundo é seu, é aqui o seu lugar.

Ei, menina, por onde você andou? O que estava procurando? Não sabe que é nas palavras que você costuma se encontrar? Vai em frente, menina. Não desista de tentar. 

Outra vez.


You Might Also Like

4 Comente!

  1. Às vezes nossa vida anda numa maré de sufoco danada, mas coisas boas não demoram a acontecer. Acorda para isso, menina!

    ResponderExcluir
  2. Oi Sabrina, tudo bom? Adoro seus textos, acompanho o blog faz um tempinho mas só agora percebi que ainda não o seguia D:
    Semana passada passei por Magé e pela linha do trem e lembrei de você, hahaha
    Beijinhos :*

    ResponderExcluir
  3. O tempo é um brincalhão. Nos faz superar a dor e a tristeza, permite que a gente evolua e se torna uma versão diferente do nosso próprio passado. A gente acaba virando um mutante ambulante, rs, parafraseando Raul. No entanto, vêm os sonhos para despertar saudade de outrora, de quando víamos o mundo de outro modo. O importante é que nessa confusão toda de sentimentos e tempos a gente não perca o mais importante: nossa essência.
    Parabéns pelo texto. Adorei.
    bj

    ResponderExcluir
  4. Acho que todo escritor passa por momentos de "desilusão com as palavras". Mas quando menos se espera, somos enlaçados novamente, por inspirações diversas.

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo :) Diga sua opinião e ela será lida e muito bem vinda, ela é essencial para a construção da identidade deste blog!

Sua opinião será respondida aqui mesmo e em seu blog, por isso peço que deixe seu link para que eu possa retribuir a visita.

Temos twitter: @sabrinabyme e @blogspiderwebs; siga para receber todas as atualizações.

Um recado

Estava esperando por você. Antes de continuar, você precisa saber de algumas coisinhas, ó: isso não é um diário, nem um blog de moda. É apenas um blog. E apesar de alguns textos desde site possuírem um caráter bem pessoal [ao enfatizar sentimentos e circunstâncias] e narrativas por inúmeras vezes cortantes e sensíveis em primeira pessoa, nem todos eles possuem caráter auto-biográfico e opiniões da própria autora.

SPIDERTV

PEQUENAS DOSES DE @SABRINABYME

'' Eu quis encontrar um jeito de nunca morrer, e a partir daí, eu comecei a escrever.''

'' Se tem uma coisa que eu aprendi sobre a dor, é que na maioria das vezes, ela também é a cura''

'' Que eu nunca perca essa vontade de escrever. Jamais. O mundo parece uma prisão, às vezes. Escrever é como abrir janelas.''


leia mais em Pensador.info>