O valor da vida do outro

10:49




Você acorda, percebe que o dia está lindo, radiante e ensolarado. Ao perceber essa maravilhosa cena, você resolve ir ao parque. Foi caminhando vagamente pela rua, olhando para os lados. Ninguém estava perto de você. Você achou tudo isso normal, sempre viveu sozinho. Foi andando, olhou as lojas: elas estavam abertas, porém, não existiam vendedores e nem produtos. Você estranhou essa série de acontecimentos, mas mesmo assim, ignorou e seguiu pelo seu dia sem maiores preocupações. 

Ao entrar neste mesmo parque percebe que todas as pessoas daquele lugar simplesmente sumiram. Para você, tudo esta ótimo, pois nunca ‘’precisou de ninguém’’ não é mesmo? E ficou ali, tranquilamente, sem stress: leu o jornal, tomou sol e observou os pássaros voando no céu. Então de repente as coisas começam a piorar. Você vai ao mercado: não há vendedores e nem produtos produzidos. Você está com fome e sede. Pensa estar numa cidade fantasma. E o desespero corre pelas suas veias e você deseja ver alguém, precisa de uma segurança realística. Percebeu como seu dia ficou vazio? Sentiu falta do que? A resposta está muito evidente.

Então você acorda do pesadelo, foi só um sonho ruim, nada mais. Demos graças a Deus, foi por pouco! 

Ao acordar desse sonho, você vive sua vida normalmente, como um ser humano qualquer. Você encara a vida tal como é: pessoas se matando, pais e filhos em conflito, guerras nucleares, ataques terroristas, discórdia entre as pessoas e etc. É só olhar em volta, ligar o rádio, assistir o telejornal... viver. São tantos problemas, tantas desgraças, tanto sofrimento. Achamos isso normal. Até que qualquer coisa dessas aconteçam com nós mesmos. Quem seria o culpado por essas consequências avassaladoras? 

Procuramos a resposta de tudo. Percebemos que ela não é tão fácil assim de ser encontrada. E é na mais profunda reflexão, que na maioria das vezes nunca a percebemos, só com muito senso crítico e perceptivo, podemos concluir: a resposta vem de nós mesmos, e a culpa infelizmente ... é nossa. 

Sim, nós queremos a resposta pronta para todos os problemas da humanidade e esquecemo-nos de nos olhar no espelho. Mas olhar não só para enxergar a aparência, as características. Mas olhar profundamente na alma e perceber como nossas atitudes influem nesse processo de caos da humanidade, de ida contra ao ''ser humano''. 

Tudo começa com a omissão de uma única verdade: Nós não somos nada sem o outro. Nossa roupa, nosso alimento, nossos acessórios e tudo que nos rodeia. Tudo isso é fruto da ação de outra pessoa: indiretamente e diretamente. Achamo-nos tão autossuficientes que cometemos a gafe de dizer que não precisamos de ninguém.Não adianta você indagar sobre os produtos industrializados e feitos de forma mecânica/robótica: eles precisaram de matéria prima para se estabelecer tal como são. E isso só foi possível, com a ação de um organismo vivo. 

Um ser humano semelhante a você.Parece difícil de aceitar , mas a verdade ninguém consegue negar.

Você não é nada sem o outro.

Assim como a lua precisa do sol para se iluminar, as plantas de água para germinar e as pessoas de ar para viver, você precisa dos outros para ''ser''.



You Might Also Like

15 Comente!

  1. Hey Sabrina
    Tudo bem??
    Curti pra caramba a sua frase final. Hoje é muito disseminada essa ideia de auto-suficiência, de que o que mais importa é você principalmente quando o assunto tratado é opinião.
    Acredito que não seja esse o caminho, que como em todos os outros campos da nossa vida esse tipo de extremismo não leva as pessoas muito longe, pois dependemos dos outros, não só da parte física como citou no texto com produtos industrializados e matéria prima mas principalmente pelo lado emocional, uma das poucas coisas que levamos por toda a nossa vida é a felicidade, a alegria dos momentos, e se alguém aí consegue ser feliz sozinho o tempo por favor todo não me conte esse segredo, por que as pessoas que estão realmente próximas a mim são o que sempre me farão feliz.
    Bem acho que viajei um pouco mas teu post me levou a tal reflexão então ta valendo.
    Abç

    ResponderExcluir
  2. Oi, Sabrina! Tem razão, muitas vezes as respostas que buscamos fora pode estar morando em nós mesmos. Sua descrição de cidade vazia me fez lembrar um episódio de uma série antiga chamada Além da imaginação, só que a personagem congelava tudo ao seu redor quando dizia "Pare". Paz instantânea! Mas sem os outros, realmente ninguém é ninguém. UM abraço!

    ResponderExcluir
  3. Sempre que dormimos sonhamos, e "não é feliz quem não sonha", como dizem... Mas acredite, adoro alguns pesadelos, porque são como choques de realidade.
    Se sonhos nos tiram do chão, os pesadelos servem justamente para termos esse impacto com a 'terra'.
    Somente Deus para curar as maldades do mundo!
    As pessoas muitas vezes tem tudo e desperdiçam... Desperdiçam o próprio tempo com besteiras e banalidades...
    Continuo na opinião de que além de Deus, falta respeito! Sem dúvidas o respeito é a base de tudo... E quando aprendermos a respeitar o próximo, não tenho dúvidas que teremos um mundo melhor!
    Sem contar nas injustiças que cometemos esperando do próximo... As mudanças começam por nós!
    Eu como sempre adorando suas postagens! hahaha
    Beijos grande!

    Ps: Precisamos marcar sim, menina! Podíamos marcar no shopping ou algo assim. O que acha? Por aqui não tem muita escolha também, né? rsrsrs

    http://oiflordeliz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Sabrina,quanto tempo menina.
    Queria primeiramente me desculpar por não aparecer mais por aqui,realmente estava um pouco sem tempo de ler,pensar e comentar...
    Mas,vamos ao que me interessa;sobre o seu texto?Como de costume está ótimo ;)

    Realmente precisamos muito das outras pessoas,e chega ser muito hipocrisia dizer que não.

    Você não é nada sem o outro.

    beijão Sá. http://rascunhosperdiidos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá Sabrina, tudo bem?
    Belíssimo texto!
    Sabe, muitas vezes, no auge da prepotência, algumas pessoas pensam que não precisam de ninguém para a conquista da felicidade. E esses são tolos! Pois a verdadeira felicidade só pode ser conquistada e desfrutada com a presença do outro. Somos um ser social!

    Abraços Flávio.
    --> Blog Telinha Critica <--

    ResponderExcluir
  6. Todos nós precisamos de alguém, do outro para a vida fazer sentido.

    http://iasmincruz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Por mais que o dinheiro seja preciso, não, seja essencial para viver, sem outras pessoas ao nosso redor nossa vida seria tão vazia que seria como se estivéssemos sozinhos no mundo inteiro mesmo. Nós precisamos mesmo de outras pessoas, nós precisamos de companhia, família, amigos, eles são a verdadeira essência da vida ♥

    Lindo lindo lindo texto Sabrina :'}

    Beijos
    Meu outro lado

    ResponderExcluir
  8. Amei o texto,viu?
    Muito filosófico,adoro filosofia.
    Realmente, nós damos tão pouco valor às pessoas que nos rodeiam que nem imaginamos como seria a nossa vida sem eles.
    É um pensamento cruel,mas que não deve ser esquecido.Sem outro alguém,nós não somos ninguém. Afinal,nós só mostramos as nossas capacidades quando tem algo ou alguém para testá-las.
    Nunca devemos achar que somos autossuficientes,porque não somos!

    Beijos
    Hayanne Deise Lins
    >> Profissão Adolescente

    ResponderExcluir
  9. Olá Sabrina, tudo bem? UAHSAU'. Realmente não somos nada sem o outro. Ás vezes queremos ficar só, pensar e refletir, mas não pode ser a todo momento. São tolos o que acham que pode tudo sozinho, nossa felicidade também depende do outro.
    http://cadalagrima.blogspot.com
    beijos!

    ResponderExcluir
  10. Belíssimo seu texto, a forma da qual você escreveu me encantou e tu disse toda a verdade.

    Estou te seguindo www.todomeldaflor.com

    ResponderExcluir
  11. Olá Sabrina,

    Alô, alô, Sabrina, 1, 2, 3.... Colega, tem uma surpresa pra você lá no Telinha, já viu?

    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Critica <--

    ResponderExcluir
  12. Oi Sá
    Nossa que lindo texto, vc tava inspirada einh?! Com certeza precisamos uns dos outros. Vivo falando para os meus filhos nunca faça para o outro o que vc não deseja que o outro te faça. Parabéns, vc conseguiu por seus méritos o Prêmio Telinha Crítica de Agosto. Estou orgulhosa de vc.
    Bjão da tia Lú. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  13. Oi Sá,

    Tudo bem? Um texto encantador que demostra que sozinhos nada somos e que o todo é coletivo. Sempre vejo falta de humildade em pessoas que se acham maiores e o fim é sempre o menor.

    Beijos e cuide-se.

    Lu

    ResponderExcluir
  14. Que texto magnífico!
    Estava inspirada heim? rsrs

    Algumas pessoas se acham tão superiores que acabam esquecendo que dependem direta ou indiretamente dos outros para viver.
    Gostei muito da sua forma de pensar. Parabéns!

    beijos.

    P.S. Te marquei em um Meme no Erros e Acertos. Depois confere lá.

    ResponderExcluir
  15. Que texto lindo, tão real e cruelmente sincero. Cruelmente não num sentido ruim, no melhor possível, porque é uma verdade que o orgulho da gente nos impede de ver, mas que existe. Parabéns pelo texto, menina!!

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo :) Diga sua opinião e ela será lida e muito bem vinda, ela é essencial para a construção da identidade deste blog!

Sua opinião será respondida aqui mesmo e em seu blog, por isso peço que deixe seu link para que eu possa retribuir a visita.

Temos twitter: @sabrinabyme e @blogspiderwebs; siga para receber todas as atualizações.

Um recado

Estava esperando por você. Antes de continuar, você precisa saber de algumas coisinhas, ó: isso não é um diário, nem um blog de moda. É apenas um blog. E apesar de alguns textos desde site possuírem um caráter bem pessoal [ao enfatizar sentimentos e circunstâncias] e narrativas por inúmeras vezes cortantes e sensíveis em primeira pessoa, nem todos eles possuem caráter auto-biográfico e opiniões da própria autora.

SPIDERTV

PEQUENAS DOSES DE @SABRINABYME

'' Eu quis encontrar um jeito de nunca morrer, e a partir daí, eu comecei a escrever.''

'' Se tem uma coisa que eu aprendi sobre a dor, é que na maioria das vezes, ela também é a cura''

'' Que eu nunca perca essa vontade de escrever. Jamais. O mundo parece uma prisão, às vezes. Escrever é como abrir janelas.''


leia mais em Pensador.info>