A nova musa do bloco de notas estréia em destaque no Carnaval de 2013

12:22



É carnaval lá fora desde o começo do mês. Eu sei, eu sei. E pra ser sincera, hoje venho dizer pra vocês que desde lá eu quase nem dei ás caras na janela para dizer um oi pro mundo lá fora. E por incrível que pareça, nem se quer me passou pela cabeça ainda a possibilidade de cair na folia esse ano. De certa forma isso me faz triste e feliz ao mesmo tempo. Não, eu não sou bipolar ou nenhuma outra coisa do tipo. É uma questão que entra em conflito. Pensa comigo: Não é engraçado que, com tanta alegria, folia e diversão em vários dias seguidos nos centros das cidades e em vários locais do país, eu não esteja lá no meio ou não sinta vontade de estar? É como se estivesse perdendo algo que não deveria. Ou será que realmente não deveria? Fica a pergunta no ar.

Na verdade, minha relação com o Carnaval nunca foi de ódio e amor. Pular carnaval, como diz minha mãe, sempre foi algo indiferente pra mim. Aliás, Carnaval me lembra muito as fantasias que minha mãe me comprava quando eu era menor. Em meu primeiro carnaval, fui vestida de coelhinha. Nos outros, sempre ia de havaiana e odiava ter que exibir minha barriga e usar aqueles brilhos todos e aquela saia enorme. Depois me libertei dessas fantasias e decidi ficar comigo mesma. Foi bem melhor.

 No carnaval, todo ano vou à rua, por pelo menos um dia. Pra andar, comer alguma coisa ou até mesmo rir um pouco, sabe? Ver as pessoas da minha cidade, os novos casais de namorados e as algumas pessoas dando vexame. Ver as fantasias e a bagunça e sujeira nas ruas. Aqui na minha casa sempre foi assim, nunca muda. E diferentemente de antes, hoje eu já não tenho mais medo dos mascarados, os famosos ‘’perrôs’’. Aliás, hoje em dia, ouço menos barulhos e arruaças do que antes. Não sei ao certo o que está acontecendo, mas não foi só comigo que as coisas mudaram. O Carnaval por aqui também mudou. Mornou. É o que eu sinto, vejo e vivo.

2013. Decidi fazer diferente mesmo dos outros anos. Nunca me deixei levar pelos blocos, mas desta vez, caí em tentação. O bloco de notas acabou de entrar na concentração. E eu, fui decidida a cair nesse carnaval. Um carnaval um tanto literário, se assim podemos dizer. Melhor do que os últimos anos, pra variar. Minha participação é massiva. O bloco de notas foi aberto e se destaca numa linda cor branca, que mais representa a ausência de todas as cores e inicialmente, das palavras. E o desfile começa. As passistas são as palavras, lindas e belas, saídas da mente e descritas como registro de pensamentos. Os destaques são os pensamentos e a imaginação e inspiração vem abrindo alas. Os foliões são os leitores, que se deixam levar pelos encantos e pelo brilho desse carnaval. Aqui todo mundo impera, todo mundo é livre e todo mundo é rei, rainha e o que mais desejar. Basta imaginar!  Caia nessa folia. A nova musa do bloco de notas estréia em destaque no Carnaval de 2013.

Prazer em conhecê-lo. 

You Might Also Like

4 Comente!

  1. Surpreendente teu carnaval literário! Também estou por aqui. Gosto da alegria das pessoas, da liberdade, das cores, mas prefiro olhá-las de longe.
    Bela estreia. Bj

    ResponderExcluir
  2. Jesus.. tu escreve muito bem mulé!! kkk
    nossa! o.O
    eu sou que nem você... nem me passa pela cabeça cair na folia e nem sinto falta disso kk
    Parece que aqui perto de casa tbm ta mais fraco.. não sei se eu que saio menos, ou se realmente as pessoas estão menos barulhentas kkk
    amei o texto!
    xoxo, Lari ^^
    www.olhacomoeufaco.com

    ResponderExcluir
  3. Minha relação com o Carnaval também é muito estranha. Tenho lembranças de que, quando criança, minhas irmãs me levavam em matinês, onde eu brincava com outros moleques e dançava axé e Xuxa. Era divertido, era legal. Nunca, no entanto, tive samba no pé. Nunca fui do pagode, nunca fui do frevo. Eu gostava do carnaval de confete, de máscara. Gostava daquele momento mágico de poder ser quem eu queria ser e assim, estava sendo exatamente quem eu era. Hoje, adulto, isso já não me atrai tanto. Ocupa um espaço nostálgico em meu peito.

    Obs: Você arrasou com esse desfile do bloco de notas. Incrível!

    ResponderExcluir
  4. Gostei do texto, Sá! Bem interessante... o chato do carnaval são os excessos cometidos, a sujeira nas ruas e o tumulto, pois a festa em si é legal e divertida. Abraços e tenha um lindo feriado.

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo :) Diga sua opinião e ela será lida e muito bem vinda, ela é essencial para a construção da identidade deste blog!

Sua opinião será respondida aqui mesmo e em seu blog, por isso peço que deixe seu link para que eu possa retribuir a visita.

Temos twitter: @sabrinabyme e @blogspiderwebs; siga para receber todas as atualizações.

Um recado

Estava esperando por você. Antes de continuar, você precisa saber de algumas coisinhas, ó: isso não é um diário, nem um blog de moda. É apenas um blog. E apesar de alguns textos desde site possuírem um caráter bem pessoal [ao enfatizar sentimentos e circunstâncias] e narrativas por inúmeras vezes cortantes e sensíveis em primeira pessoa, nem todos eles possuem caráter auto-biográfico e opiniões da própria autora.

SPIDERTV

PEQUENAS DOSES DE @SABRINABYME

'' Eu quis encontrar um jeito de nunca morrer, e a partir daí, eu comecei a escrever.''

'' Se tem uma coisa que eu aprendi sobre a dor, é que na maioria das vezes, ela também é a cura''

'' Que eu nunca perca essa vontade de escrever. Jamais. O mundo parece uma prisão, às vezes. Escrever é como abrir janelas.''


leia mais em Pensador.info>