Carta ao futuro ex-namorado

20:43

Querido, você deve estar dormindo a essa hora, mas eu estou aqui, tomando um chá, sentada em meu quarto, observando a lua , pensando em você e ouvindo aquela música que eu sempre escuto quando a gente briga, mais uma vez. Pela última vez. Nosso olhar não se encontra mais debaixo das cobertas numa noite fria de inverno. Nossas mãos, já não tem o mesmo encaixe perfeito de antes. As músicas de amor, já não me lembram mais você com felicidade. O que me completava, hoje, é apenas um pedaço desfalcado de mim.
Nosso relacionamento é mais uma daquelas teorias que prefiro ignorar por não conseguir mais entender. Eu vou deixando o vento me levar, e assim, acabo caindo em lugares ásperos e frios nos quais me machucam. E sim, isso dói você não sabe o quanto. Mas eu insisto em acreditar no que não pode mudar, insisto acreditar em atitudes que não irão ser tomadas. Eu não sei mais o que é se sentir amada. Procurei no Google esses dias, só pra me distrair e mais uma vez, sonhar.
O que fazer quando as cobranças já tomaram o lugar das frases de amor? Quando o rancor toma o lugar do perdão? Eu vejo a todo o momento uma oportunidade de mudar esse cenário deplorável em que nós estamos. Mas eu não sei mais o sentido de ‘’nós’’. Nem sei se ‘’nós’’ deveríamos existir ainda.  Dói ver que a minha opinião não faz diferença nas suas escolhas. Dói ver que o agrado já não se faz presente em nossas ações constantes. Ainda fico sozinha nas tardes de sábado esperando uma ligação sua. ‘’ Nenhuma mensagem. Nenhuma caixa postal, ok, ele deve estar ocupado. ‘’
É questão de toque, de entendimento, de doação. Tudo está perdido. O nosso beijo já não tem aquela mesma magia do começo. Já sinto falta do seu abraço mesmo estando ao seu lado em alguns dias da semana. Não consigo mais fazer você amenizar aquela briga que eu comecei por um motivo idiota. Há quanto tempo eu não vejo seu sorriso, aquele por qual eu me apaixonei? As brigas constantes roubaram as nossas declarações proferidas com tanto sentimento. Eu sinto você mais distante do que meus amigos virtuais. Nossas decisões são totalmente divergentes. Eu penso A, você pensa B. Antes nós nos amávamos. Hoje, nós nos aturamos. Será que o amor é como um produto que vem com o prazo de validade? Se for, nosso prazo já está vencido há meses.
Passa nossas datas especiais e nada muda. Parece que na medida em que os anos se passam, nossos corações se afastam mais e mais. Eu já não agüento me comparar a todos os casais felizes a nossa volta. Vivo num teatro de drama disfarçado de comédia romântica. Essa felicidade disfarçada em que me engano e me deixo cair na armadilha que eu mesmo ajudei a construir.  Isso que você sente agora não é amor. É costume. E tudo continua. Volta à estaca zero.
Você não pediu pra eu entrar na sua vida. Você não quer que e saia dela.  No entanto, faz de tudo para me retirar aos golpes sem dó nem piedade. Eu insisti em ficar aqui na espera de nós dois. Mas não dá para caminhar sozinha. Como fazer um surdo escutar? Como fazer o cego procurar uma agulha no palheiro? Como fazer o paralítico correr quilômetros atrás do que precisava? Tudo isso parece impossível. Mas ainda acredito que através do amor, as coisas mais impossíveis podem acontecer. Infelizmente, esse não é o nosso caso.
Nosso amor está surdo, mudo, cego e paralitico. A nossa música já não toca mais nas rádios. Eu preciso te dizer adeus, agora, e não me arrepender mais por isso. Vai ser melhor assim. E quando você cair por si, eu sei, vai me ligar nas tardes de sábado. Vai tentar mudar o que já não existe, vai tentar ser mais ou menos bom em duas semanas e voltar tudo como era antes. Sinto muito em dizer que meu tempo já acabou. Não quero saber o quanto terei que chorar, me indagar e pensar o quanto nós somos infelizes e insistimos nessa infelicidade. Eu não quero mais isso pra mim. Olha, não me liga mais. Não venha tentar colar um vaso de cristal. Já não há cura. Não há mais como cicatrizar as nossas feridas. Como tocar em cordas partidas?

Ass: aquela que buscou sua outra metade,
mas não a encontrou em você.

You Might Also Like

7 Comente!

  1. Oi amore, vim especialmente te convidar
    para o sorteio sigma, vc escolhe os premios
    pode escolher até 3 produtos!
    te espero.
    Boa sorte!!!
    (\__/)
    (='.'=)
    (")_(")¤°.¸¸.•´¯`»
    Beijos!!!
    http://www.coisasdeladdy.com/2013/04/sorteio-sigma-beauty.html

    "Quando tudo nos parece dar errado,
    acontecem coisas boas,
    que não teriam acontecido,
    se tudo tivesse dado certo.”

    ResponderExcluir
  2. Uau!!! Quanto sentimento, garota, estou arrepiada. Espero que a carta seja uma ficção e não real, rsrsrs
    E se for mesmo ficção, parabéns... pareceu muito real. Essa sua fase romântica está rendendo textos maravilhosos.
    Fica com Deus, fofolete! Mil beijos e espero sua visita no Apenas Palavras que estáááá... de volta rsrsrs.

    http://palavrasdevalquiria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Caraca Sabrina! Você como escritora está me surpreendendo! (você, melhor do que ninguém sabe que falo sério, não sou de #mimimi, rs).
    Eu gosto muito de ler textos em formatos de carta, mas esta sua carta, com certeza, será um tapa na cara de muitos casais que vivem juntos por viver, mas se recusam a aceitar que o sentimento acabou.
    Não sei quem inventou (desconfio seriamente que a Disney, ahah) que os sentimentos duram para sempre, inclusive o tão complexo amor.
    Eu não creio que seja assim. Se não estou errado (se estiver me corrija) mas acho que até na bíblia é mencionado que o amor esfria.
    O que me entristece, é que nem todos possuem a coragem que a redatora da carta possuiu em cair fora. Porque tal comodismo acaba por afetar ambos protagonistas da história, impedindo-os de conhecer outras pessoas as quais os farão se sentir bem novamente.
    Parabéns pelo texto! Excelente!

    => CLIQUE => ESCRITOS LISÉRGICOS...

    ResponderExcluir
  4. Já dizia a grande artista Amy Winehouse: Amor é um jogo de azar.
    Minha professora de biologia um dia disse á sala a razão das pessoas se separarem tanto, é por que elas não cultivam mais o amor... Sabe, o amor é uma sementinha, a gente planta com tanto carinho, cuida do vaso, rega todos os dias. Mas, sem nenhuma explicação aparente a gente para de cuidar da planta e ela morre :(
    Por que é tão difícil manter um relacionamento saudável sem que ele perca a essência? Não sei, nunca amei alguém dessa maneira.
    Achei muito bonito seu texto, foi uma reflexão profunda e gostei principalmente do final :)
    bjs

    Eduardo, Platina JP

    ResponderExcluir
  5. O fim de um relacionamento é muito dificil, a gente se acostuma com a pessoa e de repente Não é mais nada.Mais a vida é cheia de perdas acontece que não é algo que nos ensinam na escola,e com isso não aprendemos a lidar direito com o fim.
    ______________________________________________________


    O The Purple Blood em comemoração de dois anos para comemorar em grande estilo quem ganha presente é você.

    E dessa vez, trouxemos um mega Sorteio e também como site tem uma vibe mais Alternativa nada melhor que Born To Die – The Paradise Edition o terceiro Extended Play da cantora e compositora Norte-Americana Lana Del Rey Musa da Música pop Alternativa.

    http://www.thepurpleblood.com

    ResponderExcluir
  6. Que dom Sa!
    Incrível a tua forma de transmitir algo tão forte através das palavras. Não recordo de ter lido uma carta desse estilo ainda e por isso me chamou tanto atenção. Ela serviria de exemplo pra muitos "futuros ex namorados".
    Adorei, parabéns. Beijão! ♥

    ResponderExcluir
  7. Quero enviar pra uma certa pessoa aí, apenas isso.
    Tri, Sa!

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo :) Diga sua opinião e ela será lida e muito bem vinda, ela é essencial para a construção da identidade deste blog!

Sua opinião será respondida aqui mesmo e em seu blog, por isso peço que deixe seu link para que eu possa retribuir a visita.

Temos twitter: @sabrinabyme e @blogspiderwebs; siga para receber todas as atualizações.

Um recado

Estava esperando por você. Antes de continuar, você precisa saber de algumas coisinhas, ó: isso não é um diário, nem um blog de moda. É apenas um blog. E apesar de alguns textos desde site possuírem um caráter bem pessoal [ao enfatizar sentimentos e circunstâncias] e narrativas por inúmeras vezes cortantes e sensíveis em primeira pessoa, nem todos eles possuem caráter auto-biográfico e opiniões da própria autora.

SPIDERTV

PEQUENAS DOSES DE @SABRINABYME

'' Eu quis encontrar um jeito de nunca morrer, e a partir daí, eu comecei a escrever.''

'' Se tem uma coisa que eu aprendi sobre a dor, é que na maioria das vezes, ela também é a cura''

'' Que eu nunca perca essa vontade de escrever. Jamais. O mundo parece uma prisão, às vezes. Escrever é como abrir janelas.''


leia mais em Pensador.info>