Ostra feliz não produz pérolas

13:39



Acho que eu nunca fiquei tanto tempo sem atualizar o blog. Se formos fazer uma retrospectiva, a última postagem foi há exatos 12 dias. Pois é. Não sei o que invadiu por aqui, se foi o bloqueio criativo ou uma outra mudança de rotina qualquer. Aliás, pensando melhor, na realidade eu não tenho rotina e isso é um problema. Cada dia pra mim é um novo, não há planos e nem organização. E vira e mexe, eu estou em momentos e situações que jamais imaginaria estar. Engraçado né?

Desde a criação desse blog venho escrevendo quase que diariamente um roteiro das coisas que vejo. Dentro de mim, dentro os outros e dentro do mundo. Aprendi e desaprendi, aprendi a lidar melhor com o que sinto e com o que faço - que nem sempre, devemos agir de acordo com nossos impulsos. Hoje em dia meu maior desafio é ser menos transparente, mais translúcida. E a cada dia o conceito é diferente. 

Hoje em dia pouco me importa o que os outros pensam e isso é uma vitória. A questão é que ser feliz me deixa mal acostumada. É tipo uma droga, daquelas que não sabemos como se libertar. Mas afinal,  a vida é  isso mesmo: ciclos, momentos, acasos e sorte. A gente não sabe o que nos espera, mas o que realmente muda é a nossa forma de lidar com as coisas. E quem nós encontramos pelo caminho para nos ajudar. Interferimos na felicidade alheia de mil e uma maneiras, com nossos gestos, palavras, ações e omissões. Mas qual será o segredo da nossa própria felicidade? Vai saber.

Durante minha vida aprendi que não existe essa coisa de ''encontrar a felicidade''. A felicidade é vivida, compartilhada e possui uma infinidade de possibilidade. O caminho mais preciso é o amor. O amor está diretamente ligado a felicidade. E não digo apenas isso com o fato de relacionar-se amorosamente. Só existe felicidade com amor: amor a um propósito, a uma vocação, a um chamado, a uma vida,a um dom...a uma vontade.Quem ama, se desprende de si e dá a vida, doa o tempo e não importa qual seja o propósito. Quem ama é feliz. 

E por amor, talvez até com uma dose de egoísmo, eu venho dando um tempo pra ser feliz. Amor a mim mesma, também. A vida já é tão complicada, então, que seja permitido mudar um pouco as coisas e aproveitar enquanto elas estão a meu favor, de vez em quando. Que possamos de vez em quando desapegar um pouco das lembranças também e aproveitar os momentos. Porque a vida é um jogo traiçoeiro, mais dia ou menos dias, nós podemos desabar - ou não. Só nos resta aprender a jogar de uma maneira realista em que o resultado final não nos surpreenda. Jogar limpo, sem trapaças.

Como diz um ditado, ''Ostra feliz não produz pérolas.'' Talvez tenha sido a hora de eu me abster um pouco das minhas. Não é sempre que a ostra fica feliz. Mas de volta estou, afinal: o que seria da ostra sem as pérolas?

You Might Also Like

1 Comente!

  1. Concordo que devemos viver ao invés de "procurar" a felicidade, Sa... é natural ficarmos mais reservados eventualmente. Gostei de suas palavras. beijinhos

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo :) Diga sua opinião e ela será lida e muito bem vinda, ela é essencial para a construção da identidade deste blog!

Sua opinião será respondida aqui mesmo e em seu blog, por isso peço que deixe seu link para que eu possa retribuir a visita.

Temos twitter: @sabrinabyme e @blogspiderwebs; siga para receber todas as atualizações.

Um recado

Estava esperando por você. Antes de continuar, você precisa saber de algumas coisinhas, ó: isso não é um diário, nem um blog de moda. É apenas um blog. E apesar de alguns textos desde site possuírem um caráter bem pessoal [ao enfatizar sentimentos e circunstâncias] e narrativas por inúmeras vezes cortantes e sensíveis em primeira pessoa, nem todos eles possuem caráter auto-biográfico e opiniões da própria autora.

SPIDERTV

PEQUENAS DOSES DE @SABRINABYME

'' Eu quis encontrar um jeito de nunca morrer, e a partir daí, eu comecei a escrever.''

'' Se tem uma coisa que eu aprendi sobre a dor, é que na maioria das vezes, ela também é a cura''

'' Que eu nunca perca essa vontade de escrever. Jamais. O mundo parece uma prisão, às vezes. Escrever é como abrir janelas.''


leia mais em Pensador.info>