Havia amor

20:09



Havia acaso.
Acordo e contato.
Havia sentimento e era verdadeiro. 
Havia medo e frio na barriga também, principalmente antes do meio-dia.
Havia dúvida, primeiro.
E no final do mês, havia alegria.
Havia.

Havia companhia.
Abraços, beijos e carícias.
Havia saudade, ah, a saudade.
Ainda me lembro daquele último fim de tarde.
Agora já é tarde.

Havia paixão e era incontrolável.
Havia segredos e coisas que só o coração podia explicar.
Havia a vontade de ficar, abraçar e permanecer.
Havia eu e você. 

Havia tudo: sonhos, metas e até planos.
Havia danos.
Perdas e ganhos.
Havia sobretudo, o querer. 
Mas hoje não há mais nada.
Apenas o que deixou de ser.

Havia amor, eu sei que havia, até o final.
O que não havia era jeito. 

Texto rascunhado em um caderno qualquer entre meados de agosto e setembro de 2013.

You Might Also Like

1 Comente!

  1. As vezes o amor não consegue superar tudo, as vezes as situações da vida insistem em nos separar, as vezes não há jeito. É complicado. Tive uma identificação com a sua angústia.

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo :) Diga sua opinião e ela será lida e muito bem vinda, ela é essencial para a construção da identidade deste blog!

Sua opinião será respondida aqui mesmo e em seu blog, por isso peço que deixe seu link para que eu possa retribuir a visita.

Temos twitter: @sabrinabyme e @blogspiderwebs; siga para receber todas as atualizações.

Um recado

Estava esperando por você. Antes de continuar, você precisa saber de algumas coisinhas, ó: isso não é um diário, nem um blog de moda. É apenas um blog. E apesar de alguns textos desde site possuírem um caráter bem pessoal [ao enfatizar sentimentos e circunstâncias] e narrativas por inúmeras vezes cortantes e sensíveis em primeira pessoa, nem todos eles possuem caráter auto-biográfico e opiniões da própria autora.

SPIDERTV

PEQUENAS DOSES DE @SABRINABYME

'' Eu quis encontrar um jeito de nunca morrer, e a partir daí, eu comecei a escrever.''

'' Se tem uma coisa que eu aprendi sobre a dor, é que na maioria das vezes, ela também é a cura''

'' Que eu nunca perca essa vontade de escrever. Jamais. O mundo parece uma prisão, às vezes. Escrever é como abrir janelas.''


leia mais em Pensador.info>