E no final sempre amanhece

11:45


Tumblr_m3b4mqgiz21r1697to1_500_large

Nosso futuro ás vezes é incerto, mesmo sendo a nossa soberana decisão que comanda os caminhos que iremos traçar. Nunca gostei de ficar olhando para trás, mas percebi que tenho os pés no chão. Por enquanto ainda enfrento os desafios que me são propostos, tanto nas coisas, quanto nas pessoas. No meu modo de sentir as coisas – e pessoas, olhos geralmente me dizem mais do que palavras, mas ando meio desacreditada do meu poder de descrevê-los. Ultimamente as pessoas têm sido muito confusas e inesperadas, não acompanho o seu ritmo.

Aliás, o que eu estou fazendo? A resposta é muito óbvia: perdendo o tempo, pensando. Escrevendo. Apesar de tudo, eu sei que pra mim, escrita nunca é perda de tempo.  Cala-te mente! – disse a mim mesma, tola.

O que eu fiz? Levantei.  Sentei lá na varanda e esperei a noite invadir o céu em preto-azulado. A chuva não combinava com a estação. A cidade era calada, pacata. Nas casas só se via as luzes e pela janela o cômodo escuro iluminado pelo televisor.  A cidade estava mesmo chata. Morna e molhada. Na televisão a sala de estar só anunciava minha exaustão. Cansada de não fazer nada, típico, esperado. Insuperável.

O chiclete que a pequena me dera já está sem gosto, como minha vontade de me mexer e me importar com coisas nas quais ando ignorando. Difícil aprender a ignorar as coisas que sinto saudades e ignorei porque precisava. Sinto saudades do que não deveria. Sinto remorso do que não faço.

Mas dias chuvosos são perfeitamente mais inspiradores. É lindo ver tudo se banhar logo depois de temporadas de sol escaldante. É a ânsia de uns, desastre de outros. Só consigo escrever, não ter que reclamar do sol e ver a noite se fazendo a chefona, escura e sem brilho.

– Chuva: soberana e pobre coitada, já pode ir embora agora – foi o que eu disse, na esperança de que ela pudesse me ouvir. Andei até a sala e desliguei a TV. Comi uma maçã, que parecia ter sido uma das melhores maçãs que comi até hoje. Depois eu deitei em meu travesseiro de linho. Guardei os sonhos numa pequena almofada de algodão e fui esperançosa, dormir num sono profundo até o sol bater na janela.

Amanheceu.

You Might Also Like

8 Comente!

  1. Odeio essa sensação, que descrevo como perder os dias, é ruim, parece que não estamos indo a lugar algum, nos deixa angustiados. Porém, se nestes dias meio vazios e opacos, você ao menos conseguir escrever, então terão valido algo.

    Beijos Sabrina!

    ResponderExcluir
  2. Oi Sabrina!
    Eu senti meio que assim na semana passada, perdi os dias. É como se tivesse ficado estagnado - e nem a escrita conseguiu me ajudar u.u
    Porém, dias melhores vieram, dias que compensaram os dias da semana perdida.
    Mas eu concordo com o que a L disse, se ao menos conseguir escrever, os dias terão valido algo :)
    bjs, Eduardo. (http://platinajp.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  3. Quando não fazemos nada, nada acontece... a vida precisa de movimento para ser interessante independente do futuro. Lindo texto, Sa!
    Abraços e tenha um ótimo final de semana.

    ResponderExcluir
  4. Me sinto assim, as vezes, também. Meio que não entendendo nada e só vendo os dias passando...Acho que é efeito das férias!
    E eu não gosto de dias chuvosos, eles me deprimem D:
    Beijos :D

    ResponderExcluir
  5. E no final, a velha esperança, que anda meio cansada às vezes não?! Mas ela sempre está ali, depois de um dia de chuva pra nos trazer um dia ensolarado ;}

    Lindo texto, Sabrina, estava com saudades de lê-los *___________*

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Pensar e escrever realmente não é uma perda de tempo. O problema é quando novos dias amanhecem e você continua apenas pensando e escrevendo, deixando de fazer outras coisas que você gosta.
    Sa, já te convidei no face e criei o grupo. Depois me passa o face das meninas pra eu convidar ela tbm :)
    -xoxo

    http://s2juuh.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Escrever nunca será perda de tempo mas hoje em dia esta cada vez mais difícil falar sobre os seres humanos, ja que nunca sabemos se o que eles falam é reaçmente verdadeiro , se é de coração, sem malicia ou sem tentativas de te passar a perna, sem poder confiar em nimguém, consequente mente como se escreberá sobre alguém ??

    Faz uma vista?
    se me seguir avise que eu retribuo ok >.<
    http://peoplecrazystipoeu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Escrever nunca é uma perda de tempo, tola! ahahaha #zoa.
    Sabrina, todos temos nossos momentos procrastinadores, a diferença que, tal como eu, você também percebe. Agora é só lutar contra isto e não desperdiçar os dias, ou noites. Embora eu não tenha considerado esta um desperdício.

    => CLIQUE => ESCRITOS LISÉRGICOS...

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo :) Diga sua opinião e ela será lida e muito bem vinda, ela é essencial para a construção da identidade deste blog!

Sua opinião será respondida aqui mesmo e em seu blog, por isso peço que deixe seu link para que eu possa retribuir a visita.

Temos twitter: @sabrinabyme e @blogspiderwebs; siga para receber todas as atualizações.

Um recado

Estava esperando por você. Antes de continuar, você precisa saber de algumas coisinhas, ó: isso não é um diário, nem um blog de moda. É apenas um blog. E apesar de alguns textos desde site possuírem um caráter bem pessoal [ao enfatizar sentimentos e circunstâncias] e narrativas por inúmeras vezes cortantes e sensíveis em primeira pessoa, nem todos eles possuem caráter auto-biográfico e opiniões da própria autora.

SPIDERTV

PEQUENAS DOSES DE @SABRINABYME

'' Eu quis encontrar um jeito de nunca morrer, e a partir daí, eu comecei a escrever.''

'' Se tem uma coisa que eu aprendi sobre a dor, é que na maioria das vezes, ela também é a cura''

'' Que eu nunca perca essa vontade de escrever. Jamais. O mundo parece uma prisão, às vezes. Escrever é como abrir janelas.''


leia mais em Pensador.info>